Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Programa criado para zerar filas de espera por cirurgias alcança outros municípios

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

02/09/2017 08h02 - Atualizado em 04/09/2017 08h45

Programa criado para zerar filas de espera por cirurgias alcança outros municípios

Nesta semana, uma criança de uma comunidade quilombola passou por procedimento cirúrgico na Santa Casa de Misericórdia

Quando, em abril, a Prefeitura realizou convênio com o Hospital Evangélico Goiano e a Santa Casa de Misericórdia para acelerar a realização de cirurgias eletivas com o objetivo de acabar com as filas de espera, já se imaginava o alcance da iniciativa. Tanto que, nesta semana, um dos procedimentos feitos no âmbito do convênio atendeu a uma criança que vive em uma comunidade quilombola localizada no município de Cavalcante, há quase 500 km de Anápolis. Com cinco anos e uma hérnia congênita, Tawan dos Santos Rosa vai voltar para casa livre do incômodo que o acompanhava desde o berço.

O médico Olegário Vidal, que realizou a cirurgia na tarde de quinta-feira, 31, na Santa Casa de Misericórdia, ressalta sua satisfação por integrar a equipe que é responsável pela tarefa de reduzir a fila de espera. Desde o início do programa 220 crianças passaram pela mesa de cirurgia e, neste sábado, 2, estão marcados mais sete procedimento pediátricos. O atendimento a Tawan, para o médico com 27 anos de profissão, representou uma alegria pessoal. “Poder usar meu conhecimento para ajudar uma comunidade desassistida, carente de saúde, é um orgulho para mim”, destaca.

Vão de Almas, onde vive Tawan e sua mãe Izídia dos Santos, é uma região encravada entre serras, a 90 km de Cavalcante, mas devido à dificuldade de acesso ainda é bastante isolada. Segundo Izídia, lá não tem água tratada e os serviços públicos de saúde são precários. Para ela, conseguir trazer o filho para Anápolis e vê-lo operado e livre da hérnia que o acompanhava desde o nascimento, representou uma vitória com a qual não contava. “Lá não é possível fazer e eu não tenho recursos para pagar pela cirurgia”, conta.

Ela conseguiu vir para Anápolis graças à ajuda de missionários religiosos que desenvolvem um trabalho na região. Um deles é médico e, logo que viu a situação de Tawan, entrou em contato com o colega Olegário Vidal, e pediu auxílio. Vidal acionou a Secretaria Municipal de Saúde que, prontamente, autorizou a realização do procedimento. O médico afirma que à disposição para atender outras crianças de Vão de Almas e de outras comunidades quilombolas da região de Cavalcante e acrescenta que, hoje, a Secretaria Municipal de Saúde oferece todas as condições para viabilizar essa assistência. “Desde o início do programa mais de quatro mil pacientes, que aguardavam na fila de espera, foram atendidos”, destaca.